Quer entender por que o seu condomínio precisa de um controle de acesso moderno? Veja neste post as razões para investir nessa tecnologia!

A segurança é um dos pilares que sustentam um condomínio exemplar. A gestão condominial precisa prestar atenção à diversos pontos para que a vida e os bens dos moradores não sejam expostos a nenhum tipo de perigo.

Tendo isto em mente, é importante conhecer as diferentes ferramentas que tornam a vida dentro do condomínio muito mais tranquila.

Hoje, uma das maiores preocupações quando o assunto é segurança é o monitoramento do fluxo de pessoas que frequentam as dependências do condomínio. O controle de acesso para condomínios é uma das soluções que foram desenvolvidas para tornar o trabalho dos síndicos e demais gestores do condomínio mais dinâmico e eficiente.

Nada de livros de visitas: o controle é feito digitalmente. A atualização do procedimento de liberação e monitoramento de entrada traz uma série de benefícios para a rotina dos moradores do condomínio.

Neste post iremos te mostrar o que é um controle de acesso para condomínios, como ele funciona, quais as vantagens, os tipos que existem e daremos algumas dicas para que você não erre na hora de contratar este tipo de serviço.

Navegue e saiba tudo sobre controle de acesso para condomínios

O que é um sistema de controle de acesso para condomínios?

O sistema de controle de acesso para condomínios é uma tecnologia que monitora a entrada e a saída de pessoas que não fazem parte do quadro de moradores ou colaboradores do condomínio.

Com ele, é possível identificar o tempo total de estadia da pessoa, registrar dados dela, resgatar horários de entrada e saída anteriores e muito mais.

É um sistema que traz mais segurança para este tipo de trabalho, pois é mais ágil e é totalmente acessível para quem for operá-lo.

O maior objetivo de um sistema como esse é ter uma base de dados completa com os registros de qualquer movimentação realizada no condomínio. Assim, quando algum caso suspeito surgir, os gestores do condomínio já saberão à qual fonte de informação recorrer.

Como nós afirmamos anteriormente, o sistema de controle de acesso para condomínios é o fim das marcações sobre visitantes em livros e papéis.

As regras de acesso são um dos maiores motivos para desentendimentos entre a gestão e os moradores. Com a utilização de um sistema de controle de acessos, o trabalho dos gestores será otimizado e ocorrerá de maneira mais transparente também.

Como funciona o controle de acesso para condomínios?

O controle de acessos é um sistema que irá ser utilizado pelos colaboradores do condomínio e monitorará a entrada e saída das pessoas nas dependências do condomínio. Todas as movimentações de visitantes poderão ser observadas através do sistema.

O sistema de controle de acesso fornece dados como a data e horário da entrada de cada um dos visitantes. Esses dados podem ser resgatados posteriormente através de relatórios, que poderão ser consultados para avaliar a frequência com que trabalhadores ou visitantes frequentam o condomínio, por exemplo.

Todas as informações que são coletadas no sistema de controle de acesso são armazenadas em uma central web, o que garante maior segurança em casos de queda de energia ou acidentes com os equipamentos. Esses dados podem ser consultados pelos gestores de qualquer lugar.

Existem diversos tipos de sistema de controle, veja a seguir quais são e as diferenças entre elas.

Quais são os tipos de controle de acesso que existem?

Os tipos de controle de acesso utilizados por um condomínio irão variar de acordo com as necessidades da gestão condominial e também dos hábitos dos moradores.

No mercado, é possível encontrar vários tipos de controle de acesso, mas que se enquadram nas categorias que iremos apresentar.

É importante ressaltar que a utilização de um sistema desse deve ser implementada após um longo estudo da estrutura do condomínio, da percepção que os moradores terão e também da facilidade que eles possuem em se adaptar às novas tecnologias.

Portaria física

O modelo mais tradicional e que dispensa apresentações.

A portaria física será administrada por um colaborador que ficará encarregado de fazer o controle manual dos moradores e visitantes do condomínio.

É um modelo que apresenta menos segurança do que os outros que serão citados aqui, pois abordagens criminosas e falhas humanas podem ocorrer.

Impressão Digital

A biometria é uma das tecnologias mais difundidas na área de segurança. Hoje, existem diversos tipos de serviços que contam com a tecnologia da impressão digital. Um ótimo exemplo são as agências bancárias.

O cadastro das biometrias dos visitantes pode ser feito, prezando maior velocidade na hora de entrar no condomínio. Basta apenas que um cadastro seja feito na hora e a digital irá liberar as próximas entradas da pessoa.

Como é uma solução que exige um cadastro mais elaborado, é necessário avaliar se a rotina dos moradores não será afetada, dependendo da quantidade de visitantes que o condomínio recebe.

Cartão de acesso

Um cartão de acesso será disponibilizado com os dados do morador e com dados temporários para os visitantes. Nesse modelo, o cartão deverá ser aproximado de um leitor magnético, que irá fazer a liberação da passagem.

É um método que economiza tempo de todos os envolvidos e agiliza o processo de coleta de informações, pois no cartão magnético estarão gravados os dados do visitante. Caso os acessos precisem ser checados, todos os dados serão bem acessíveis.

Painel com senha

Combinações numéricas podem ser definidas e compartilhadas com quem frequenta o condomínio, garantindo que somente quem tenha acesso à essa senha previamente possa acessar as dependências.

Geralmente cada morador tem a sua senha, o que garante um maior nível de segurança em caso de algum número ser compartilhado indevidamente por terceiros.

A troca da senha evita que terceiros se aproveitem de situações em que os moradores acabam deixando suas senhas vulneráveis.

Reconhecimento facial

O reconhecimento facial já é utilizado em larga escala em diversas empresas por aí e começou a ser a aplicado também na rotina dos condomínios.

Câmeras são implementadas e fazem o cruzamento das imagens capturadas dos clientes com a base de dados cadastrada anteriormente, liberando ou bloqueando o acesso.

Assim como a biometria, é necessário que um cadastro seja feito anteriormente para que o banco de dados contenha as informações necessárias para fazer esse cruzamento e, posteriormente, a liberação.

Aplicativos em smartphone

Há condomínios que utilizam a tecnologia presente em smartphones para fazer a liberação da passagem de moradores e visitantes.

A partir de convites virtuais, o acesso é liberado de maneira parecida com o que acontece com os cartões de acesso.

O controle fica centralizado em um sistema compartilhado pelos celulares com o app e os convites podem ser modificados ou excluídos a qualquer momento pela gestão.

Portaria virtual

A portaria remota, conhecida também como portaria virtual, é uma tecnologia que substitui o modelo tradicional de portaria (com um profissional presente).

É possível fazer o cadastro, a liberação de visitantes e prestadores de serviço de maneira remota, com tudo sendo acompanhado em tempo real por uma empresa especializada em segurança.

O sistema de segurança de uma portaria virtual é totalmente integrado ao banco de dados e em qualquer momento do dia a equipe responsável pode ser contada para a resolução de imprevistos.

Se você quer saber mais a respeito do serviço de portaria remota, leia este nosso artigo sobre como funciona uma portaria virtual para condomínios.

Esses são apenas alguns dos modelos de controle de acesso que você encontrará no mercado, mas existem outros que são utilizados em escala menor.

Quais as vantagens de um sistema que controla os acessos no condomínio?

O fluxo de pessoas é algo que tende a aumentar com o tempo em qualquer condomínio, acompanhando a expansão do mesmo e também por questões de serviços.

Contar com um bom sistema de controle de acessos no seu condomínio garante uma série de vantagens que são percebidas pelos moradores e também por outros stakeholders que estão envolvidos com a gestão condominial.

Veja abaixo alguns exemplos que mostram a importância que o sistema de controle de acessos escolhido tem para a vida condominial:

Mais segurança

Segurança, como afirmamos lá no início, é um dos pilares de qualquer condomínio. Um sistema de controles permitirá que apenas as pessoas autorizadas e cadastradas de alguma forma acessem a área após ceder alguns dados pessoais.

A sistematização da entrada e saída de pessoas cria camadas que dificultam a ação criminosa ou fraudes envolvendo a identificação.

Isso evita que visitantes indesejados possam entrar, pois somente os que foram autorizados poderão fazê-lo; evita que pessoas que foram desligadas do quadro de colaboradores acessem o condomínio com as credenciais de trabalho; permite um acompanhamento em tempo real de quem está dentro do condomínio e regula os acessos de pessoas que não são residentes.

Os moradores terão mais segurança e os funcionários poderão contar com os recursos tecnológicos para fazer o controle, evitando riscos à integridade das moradias e de todos os presentes dentro do condomínio.

Economia de recursos

Sistemas digitalizados e que não dependem de esforço humano para serem operados localmente costumam trazer boas notícias para o orçamento de qualquer condomínio, pois as despesas com o quadro de colaboradores diminuirão.

O investimento em tecnologia permite que os recursos sejam realocados em outras áreas, o que impactará no desenvolvimento do condomínio de maneira global.

Controle à distância

Um dos pontos que mais interessam as equipes de gestão condominial é a capacidade de monitoramento em tempo real. Em determinados modelos de controle de acesso, isso se torna possível, como na portaria virtual.

Os gestores poderão direcionar as suas energias para outras atividades enquanto a equipe responsável pelo controle de acesso cuida do monitoramento.

Cadastro de entregas

Em qualquer sistema de controle de acessos, as entregas são registradas e armazenadas até que estejam nas mãos do destinatário.

Isso evita episódios em que a entrega foi feita, mas o objeto não chegou até quem deveria receber, pois a movimentação das entregas ficará armazenada no sistema.

Erros mais comuns ao contratar um sistema de controle de acesso para condomínio

Entre os erros mais comuns, precisamos destacar dois: a falta de planejamento dos recursos e não consultar os condôminos antes de implementar um novo tipo de acesso às dependências do condomínio.

O planejamento deve levar em consideração o número de moradores, as torres, a localização do condomínio, a rotina de serviços e o modelo que a equipe opera. Se ignorados, esses pontos podem colocar em risco a implementação de qualquer um dos sistemas citados.

Por fim, mas não menos importante: conhecer o perfil dos condôminos faz a diferença na tomada de decisão. Dependendo do modelo escolhido, podem existir dúvidas ou dificuldades na operação do sistema. Se o seu condomínio possui um público de mais idade, por exemplo, o sistema escolhido deve ser de fácil adaptação.

Entendeu como funciona o controle de acesso para condomínios? Agora é só entrar em contato com a National!

As opções que foram discutidas neste post são de fácil implementação e estão dentro do escopo do que a National trabalha.

Se você possui dúvidas sobre como funciona um sistema de controle de acessos e quer conversar com especialistas, entre em contato conosco! Temos mais de uma década de experiência e podemos desenvolver uma solução que atenda à todas as necessidades do seu condomínio.

Gostou deste conteúdo? Compartilhe com os seus amigos!

Dúvidas Frequentes

O que é um sistema de controle de acessos para condomínios?

É um sistema que monitora a entrada e saída de qualquer pessoa dentro do condomínio, permitindo que dados como o tempo de estadia, horários e mais sejam gravados.

Para que serve um sistema de controle de acessos no condomínio?

Essa tecnologia irá monitorar os acessos dentro das dependências do condomínio, registrando a data, hora e o tempo de permanência e disponibilizando-os para a consulta dos gestores, garantindo mais segurança nos processos e evitando a entrada de estranhos.

Quais são os modelos mais comuns de sistema de controle de acessos?

Os tipos mais comuns de sistema são: portaria física, biometria, cartão de acesso, senha individual, reconhecimento facial, aplicativos em smartphones e portaria virtual (portaria remota).