Quer entender como os dispositivos conectados à internet podem afetar a segurança do seu condomínio? Veja neste post!

A cada geração as revoluções tecnológicas chegam em nossas vidas e transformam nosso cotidiano. Atualmente, é difícil encontrar alguma casa que não possua acesso constante à internet,  com diversos smartphones e aparelhos inteligentes conectados. Em especial durante o ano de 2021, a integração de novidades tecnológicas com a vida no ambiente doméstico tem ganhado destaque.

Um grande elemento dessa nova integração é a chegada de milhares de produtos de uma nova categoria que promete ser tão transformadora quanto a internet: a IoT, termo em inglês que significa “internet das coisas”. A IoT não é mais apenas uma especulação teórica, produtos desta categoria já estão dentro das casas dos brasileiros e a tendência é um crescimento cada vez maior,  trazendo suas vantagens e desvantagens. E será que essa nova categoria de aparelhos trará alguma preocupação para a vida em condomínio? Ou quem sabe novas soluções? Confira nossa análise.

Um recado importante, especificamente para condomínios com Wi-Fi compartilhado, é que a própria natureza hiperconectada dos aparelhos IoT exige cuidados redobrados com a segurança da rede de internet, neste caso, pode ser interessante investir em uma VPN brasileira e uma auditoria de segurança por parte do provedor de internet antes de incentivar ou investir em aparelhos IoT nas casas dos condôminos.

Navegue e saiba mais sobre a IoT

iot em condomínios

O que é exatamente a internet das coisas?

Para compreender a significância da nova tecnologia IoT, precisamos relembrar a inovação da chegada da internet: uma rede mundial que permitiu que diversos computadores trocassem informações entre si, comunicando-se em tempo real e integrando seus dados de forma inteligente.

A ideia da internet das coisas é aplicar o mesmo conceito a todos os objetos com os quais interagimos em nosso cotidiano, ou seja, através de protocolos sem fio aparelhos como relógios, balanças, câmeras, alto-falantes, sensores de presença, lâmpadas, aquecedores, portões automáticos, entre outros, se comunicarão entre si de forma integrada, inteligente, e prática.

Essa conversa entre objetos cotidianos permite uma série de soluções dignas de desenhos animados como Os Jetsons, mas que já são realidade no mercado. Por exemplo, usando produtos já disponíveis no Brasil, um morador pode chegar perto de sua porta e seu relógio destranca a fechadura, as luzes da casa se acendem, o alarme é desligado, a câmera de segurança salva as últimas gravações, e os ventiladores ligam. Tudo de forma automática.

Essas integrações podem não somente melhorar a vida pessoal, por exemplo indicando alimentos mais saudáveis através de uma balança e geladeira inteligentes, mas também todo o convívio social. Dispositivos inteligentes trabalhando em conjunto podem automaticamente economizar energia desligando luzes, aquecedores, e outros aparelhos custosos sempre que o morador sair de casa, enquanto máquinas de lavar inteligentes usam somente a quantidade de água necessária para trabalhar.

IoT para segurança em condomínios

Mas para quem vive e administra condomínios, a grande vantagem dos aparelhos IoT não é necessariamente a economia de energia ou água – embora bem-vindas – e sim o grande avanço da segurança dos moradores, removendo parte do ônus da equipe de segurança do condomínio e resolvendo uma série de conflitos entre moradores. Veja alguns exemplos:

Tags NFC

As tags NFC são extremamente pequenas – podendo ser encontradas no formato de cartão de crédito ou até mesmo adesivo, menor que um Band-Aid, para ser colado em outros objetos, mas podem ser extremamente poderosas.

É possível usar cartões NFC para controle de acesso ao condomínio, abrindo automaticamente a catraca para moradores e, em tempo real, registrando quem entrou, o horário, e por qual entrada. Tags de visitante podem ser emprestadas para cada carro que chegar em uma festa, e podem ser usadas para monitorar com precisão a movimentação dos convidados.

Além disso, as tags podem ser implementadas na porta de cada morador através de fechaduras inteligentes. Com elas, o risco de perda da chave é minimizado e o morador pode abrir sua porta até mesmo usando o smartphone. Com tags, não há o risco de um meliante conseguir destravar a fechadura manualmente.

Olho-mágico IoT

O olho-mágico, a abertura na porta que permite checar quem está do outro lado, foi um dos primeiros dispositivos de segurança a receber a tecnologia IoT: campainhas inteligentes com câmera integrada são extremamente fáceis de instalar, e muito poderosas.

Essa classe de aparelhos constantemente vigia a frente da casa do morador, e envia notificações em seu smartphone sempre que alguém se aproxima da porta, uma encomenda chega, ou algum evento estranho acontece. O morador pode acessar a imagem a qualquer hora, e até enviar o comando para destrancar e trancar a porta. Isso resolve o problema de encomendas furtadas, visitas inesperadas, ou roubo de decoração no jardim.

Câmeras e sensores

Câmeras de segurança não são uma novidade, mas modelos novos integrados com IoT oferecem soluções automáticas muito convenientes. É possível criar sistemas que alertam a portaria caso as câmeras detectam movimento em um horário específico, ou então, fazer backup automático de qualquer gravação suspeita.

As câmeras IoT também são mais versáteis e podem ser instaladas em mais posições, permitindo que diversos moradores tenham acesso a imagens em múltiplos ângulos e alta qualidade. É importante que a administração do condomínio se prepare para entender os regulamentos e desafios de um futuro onde cada morador possui diversas câmeras, já que as preocupações com privacidade sempre serão parte do convívio diário.

A chegada destes e outros aparelhos de internet das coisas irá transformar o cotidiano dos moradores de qualquer condomínio, por isso, é importante conhecer os usos dessas tecnologias, suas necessidades, e explorar melhorias na infraestrutura de rede e convívio dos moradores, permitindo que esses aparelhos sejam usados como aliados na segurança ao invés causadores de problemas.

Confira também: Como funciona uma portaria virtual para condomínios?

Este artigo foi produzido pela equipe do blog da Techwarn onde você encontra conteúdos ricos sobre tecnologia e mais!